Centro de Zoonoses orienta a população sobre prevenção a escorpiões

Centro de Zoonoses orienta a população sobre prevenção a escorpiões Destaque

Devido às presença indesejadas de escorpiões relatados em diversas regiões da cidade de Lagarto, a Secretaria Municipal de Saúde, através do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), alerta às pessoas sobre os cuidados para prevenção de agravos à saúde causadas por esses aracnídeos.

Os escorpiões são animais peçonhentos e considerados pragas urbanas. Entre os animais sinantrópicos que se adaptam ao meio urbano e rural e que infestam a cidade, residências, quintais e terrenos abandonados, caracterizado por falta de manutenção, mato alto, lixo ou entulho, provocando danos à nossa saúde, os escorpiões são os que mais fazem vítimas de intoxicação em Lagarto. Segundo o último levantamento pelo Programa de Controle de Escorpião do município, stigmurusem 2018 foram registrados 47 casos de denúncia por escorpiões da espécie Tityus stigmurus.

Essa espécie do gênero tityus é a principal responsável por provocar os acidentes, onde o T. stigmurus é o causador da maioria dos casos mais sérios. Diante disso, a gerência do Centro e o entomologista elaborou um recurso didático e alternativo através de um cartaz com imagem e recomendações sobre os escorpiões, levando conhecimentos básicos como ações educativas; contribuindo assim para prevenção e promoção da saúde.

É importante ressaltar, que, no município de Lagarto, os aparecimentos de escorpiões são constantes, e preocupa a população e também o Centro de Controle de Zoonoses, que vem requerendo ações para o controle da população de escorpiões.

A maioria das espécies apresentam hábitos noturnos, abrigando-se durante o dia em locais úmidos e escuros: sob pedras, troncos, entulhos, telhas, tijolos, frestas, ou enterrando-se no solo, alimentando-se principalmente de insetos como grilos, cupins ou baratas e podem sobreviver vários meses sem alimento e mesmo sem água, o que torna seu combate muito difícil. Os escorpiões podem ser encontrados, também, em rede de esgoto, em caixas de gorduras e de passagem e em túmulos de cemitérios. A espécie de escorpião mais encontrada em Lagarto é o Tityus stigmurus, também conhecido como escorpião-do-nordeste.

zoonoses

Entretanto, o que tem ocasionado a presença de escorpiões em residências e ruas é a coincidência com o início das chuvas que, em determinada área, enchem os esgotos e provocam a saída dos escorpiões desses abrigos em busca de lugares mais secos.

Como funciona o controle de escorpião em Lagarto:

Através de notificação de escorpiões em domicílios. A partir daí, é realizada a denúncia e as visitas domiciliares, pelo Técnico e Entomologista na atividade de Busca Ativa, no raio de 500 metros do local encontrado. Os escorpiões coletados vivos são levados em recipientes apropriados para o Laboratório do CCZ para estudo e identificação. Na visita é realizada a avaliação do domicílio, em relação aos locais propícios para a reprodução de escorpiões. Os moradores são orientados quanto aos cuidados para evitar a proliferação e recebem um panfleto contendo explicações sobre a espécie de escorpião encontrado e seus hábitos, os cuidados com as crianças e idosos e a urgência no atendimento se forem acidentadas.

Baseado nestas considerações, o CCZ de Lagarto, preocupado com o aumento significativo dos escorpiões e com o número de incidentes, lembra que o aparecimento dos peçonhentos é frequente em épocas quentes e úmidas do ano. Porém, durante as épocas em que se têm demonstrado um maior risco para a população, em geral, é na estação chuvosa do ano. Visto que o problema ocorre sempre e as pessoas precisam manter-se vigilantes.

Os escorpiões não gostam de claridade. Durante o dia procuram lugares escuros e úmidos para se protegerem. Ele tem um ferrão na ponta da calda e cujo veneno pode causar acidente grave em crianças e idosos levando a óbito. É necessário compreender a importância de se adotar medidas preventivas no seu lar, no seu local de trabalho, ou mesmo transmitir a outras pessoas essas informações.

Observe alguns conhecimentos básicos sobre a vida desses animais.

Ciclo de Vida:

A fêmea do escorpião é vivípara, isto é, os filhotes desenvolvem-se dentro da mãe e o nascimento efetua-se por meio de parto, sendo a gestação de 2 a 3 meses, dependendo da espécie. As fêmeas, dão à luz em média de 8 a 14 filhotes. Mas uma ninhada pode ter até 20 filhotes, os quais ficam nas costas da mãe até conseguirem se alimentar sozinho. Os filhotes ficam adultos em cerca de um ano de idade.

Os escorpiões vivem em média de 3 a 4 anos, e ao longo de sua vida pode gerar até 168 filhotes. Medem de 5 a 7 cm. de comprimento.

Todos os escorpiões são terrestres. Podem ser encontrados em ambientes diversos e situações adversas. São carnívoros e alimentam-se principalmente de insetos e aranhas, com preferência por baratas. Dentro das casas, a atenção, em especial, deve ser na saída de esgoto, ralos e caixa de gordura, pois os escorpiões procuram locais escuros. Por isso, a importância de se combater o aparecimento desses insetos, porque se tornam atrativos para os escorpiões. Os principais predadores são camundongos (ratos), sapos, lagartos, corujas, galinhas, algumas aranhas, formigas, lacraias, além dos próprios escorpiões.

Por essa razão, a população deve ficar atenta as medidas preventivas.

As orientações de prevenção são:

- fechar ou tampar os ralos internos ao entardecer;
- telar ralos das áreas externas;
- vedar frestas ou buracos nas paredes, pisos e muros;
- tampar a soleira da porta com rodinho ou rolinho de areia.
- não deixar acumular entulhos ou materiais de construção;
- verificar se os espelhos de luz e pontos de fiação elétrica não apresentam frestas;
- realizar limpeza de quintais, jardins e terrenos;
- manter o ambiente limpo e organizado.

Essas medidas ajudam a evitar a proliferação de escorpiões.

Alguns cuidados que se devem tomar para evitar acidentes:

- examinar roupas e calçados antes de usá-los;
- manter cama, sofás e berços afastados da parede e lençóis, cobertores e cortina sem contato com o chão.

O Ministério da Saúde não recomenda o uso de inseticida para controle de escorpiões. Em caso de acidente, a orientação é procurar um atendimento médico o mais rápido possível.

O que fazer ao encontrar um escorpião:

Comunique e solicite ao Centro de Controle de Zoonoses uma vistoria do local para receber outras orientações.

Observação Importante:

As solicitações de vistoria e denúncia devem ser realizadas através do CCZ pelo telefone 3.631-1260 das 8h às 17h, de segunda à sexta-feira ou pessoalmente. Será preenchido um formulário para acompanhamento do atendimento.

Proteja a saúde de sua família e da comunidade.

Ler 113 vezes Modificado em Sábado, 04 Agosto 2018 10:17