NOTA: SMS rebate acusações disseminadas por programas radiojornalístico

NOTA: SMS rebate acusações disseminadas por programas radiojornalístico Destaque

A Secretaria de Saúde de Lagarto, por meio dos Núcleo de Atenção Básica e de Atenção Especializada, vem a público esclarecer alguns pontos colocados na mídia radiofônica e aplicativos de mensagens instantâneas.

O que diz o Núcleo de Atenção Especializada, sobre a informação que o município teria perdido recursos para cidades de outros estados no tocante as cirurgias eletivas;

“A verba oriunda da portaria Nº 1.294, de 25 de Maio de 2017 em nenhum momento foi direcionada ao município de Lagarto e sim à Regional que atende seis cidades (Lagarto, Salgado, Tobias Barreto, Poço Verde, Riachão do Dantas e Simão Dias), para realização de cirurgias eletivas pertencentes ao elenco da mesma.

Porém, desde o início de 2017, o recurso hospitalar da Regional de Lagarto está sob gestão estadual (recurso esse pertencente a Média e Alta Complexidade).

Após várias reuniões com o Estado junto à Regional de Lagarto, de acordo com o colegiado Interfederativo regional, houve uma deliberação aprovando substituições de alguns elencos cirúrgicos da parte de cirurgias eletivas para cirurgias oftalmológicas. A deliberação aconteceu da CIER para CIE e com aprovação de toda regional.

Informando ainda que, parte do recurso foi utilizado com cirurgias eletivas do elenco da portaria e outra parte a cirurgias oftalmológicas, onde só em Lagarto, registrou 41 pacientes que participaram das cirurgias eletivas e 56 pacientes foram contemplados com as cirurgias oftalmológicas. Informamos ainda que cada município teve parte deste recurso destinado a esta demanda de acordo com sua população

Sendo assim não houve em nenhum momento perca de recursos para outro Estado como foi citado”.

O que diz o Núcleo de Atenção Básica diante da informação que aponta perca de equipes do Programa Saúde da Família.

“O Núcleo de Atenção Básica de Lagarto, diante da informação que aponta perda de equipes do Programa Saúde da Família, tem a informar que a Portaria nº 1.717, de 12 de junho de 2018, do Ministério da Saúde, que regulamenta as equipes do Programa de Saúde da Família - PSF, liberada para ser implantada em Lagarto, assim como acontece em outros municípios, ocorreu na gestão anterior e o descredenciamento ocorreu pelo fato do município na época não cadastrar os profissionais médicos aptos as exigências mínimas necessários que venha atender a política de atenção básica. Essa exigência é estabelecida pela portaria que regula o referido credenciamento.

A Secretaria de Saúde informa ainda que a citada portaria possibilita um novo credenciamento, e isso será feito assim que dispusermos dos profissionais exigidos pelo Ministério da Saúde, algo que está sendo buscado pela referida pasta de forma séria e competente e dentro do que pede o Ministério da Saúde. 

Ressaltamos ainda que diversos municípios têm passado pelo mesmo problema enfrentado em Lagarto (falta de profissionais médicos). Mas estamos envidando todos os esforços necessários para compor a equipe mínima exigida pelo Ministério da Saúde e resolver o problema, que é pontual.

A Secretaria de Saúde deixa bem claro que todos os detalhes referentes aos assuntos da pasta e setores, como por exemplo, NASF- Núcleo de Apoio à Saúde da Família e Melhor em Casa são inspecionados e apresentados ao Ministério da Saúde dentro dos parâmetros legais”.

A Secretaria de Saúde de Lagarto repudia veementemente o comportamento e as informações passadas de forma destorcidas junto à população.

Ler 267 vezes Modificado em Quinta, 05 Julho 2018 12:21